A advogada Livia Vital Bueno escreveu uma série de posts sobre as dúvidas jurídicas relacionadas a casamento aqui no blog. Ela casou e agora conta a experiência dela de como agir se algo der errado no dia do casamento.

Por: Lívia Vital Bueno

Depois de meses de preparação e muita expectativa, o que o casal mais deseja, além de celebrar sua união, é que tudo saia exatamente como foi planejado e que todos os detalhes, escolhidos com muito carinho e atenção, estejam como imaginaram. Acontece que, infelizmente, por maior que seja o planejamento, imprevistos podem acontecer. Alguns deles são facilmente contornáveis, outros não. E, no caso desses últimos, o que fazer? Hoje escrevo com o mais absoluto conhecimento de causa e explico por quê.  Se antes eu escrevia como noiva-advogada, agora tenho um novo estado civil: casei-me em novembro de 2012.

Cada um tem suas prioridades e uma das minhas era o “dia da noiva”. Isso porque, durante muito tempo, cuidei de tudo com tanto carinho para oferecer aos convidados o melhor que podia, dentro do meu orçamento, então achei que merecia ser tratada de forma especial.

Pesquisei inúmeros salões e profissionais até encontrar o local que considerei ideal para aquele momento tão importante. Lá, antes de fechar o contrato, fui muito bem tratada e me prometeram não haveria atrasos, que seriam atendidas no máximo 03 noivas no dia (e em horários diferentes), que seria tudo muito tranquilo. Enfim, tudo se encaixava naquilo que eu buscava: um dia da noiva especial, somente com a minha mãe, em um lugar bonito, onde eu pudesse descansar e tirar lindas fotos, vestida de noiva, antes de ir para a cerimônia.

Todavia, nada disso aconteceu. Quando cheguei ao salão (no horário solicitado), 07 noivas estavam se arrumando, cada uma delas com uma porção de madrinhas! Aí você pode me dizer: “Ah, mas isso é normal, é previsível, especialmente em um sábado.” E eu respondo: “Sim, mas não foi isso que contratei e, justamente por esse motivo, não poderia simplesmente ser aceito como normal.”

Ao longo do dia fui percebendo que as coisas não sairiam da forma como sonhei. O sonho de fazer o “dia da noiva” ideal foi por água abaixo. Minha mãe começou a ficar bastante nervosa com tudo aquilo e eu, devo confessar, também. Não tive a exclusividade prometida, não fui tratada como deveria, minha maquiagem e meu cabelo NÃO ficaram iguais ao teste, o maquiador se recusou a maquiar minha mãe (e só o fez depois de muita insistência nossa) e eu, que havia treinado caras e bocas na frente do espelho, fiquei quase sem fotos do meu making of, nem o brinde com os meus pais consegui fazer.

Acontece que, apesar de tudo isso, no dia do casamento, antes de sair de casa, jurei para mim mesma que NADA estragaria minha felicidade.

Não é simples ver o descaso, a falta de organização e profissionalismo de fornecedores que você julgou serem tão renomados (e de fato o são), mas que falham “justo na sua vez”. Não é fácil se controlar e respirar fundo quando tudo o que mais se deseja é chorar de raiva e decepção, especialmente quando se espera MUITO por determinada coisa.

Mas não se pode esquecer que há muitas pessoas queridas esperando pela chegada da noiva, linda, com sorriso aberto e realizada com tudo aquilo. Por isso, de forma bastante serena (sem escândalo), registrei verbalmente minha frustração, entrei no carro e fui para a igreja.

Fui feliz, a noiva mais feliz que meus convidados já viram, segundo eles mesmos vieram me dizer. Eu não poderia deixar o sonho de tantos anos ser afetado por causa de algo que não estava dentro do meu controle. Tudo aquilo que dispus a fazer foi bem feito, mas certas coisas não dependem somente de nós e aceitar isso é muito complicado.

Ao chegar à festa, logo na entrada do salão, notei que a fita do bem casado não era aquela que escolhi e, no dia seguinte, vi que o vinho também não era aquele que contratei! Dentro de uma infinidade de itens, esses 02 estavam errados.

Após retornar da lua de mel, liguei para os fornecedores acima, apresentei as falhas (especialmente para alertá-los a não cometer o mesmo erro com outras pessoas) e cobrei explicações, que vieram prontamente.

Com relação ao salão onde me arrumei, a questão foi mais complexa. Ali a falha não tinha explicação, não era aceitável e, o dano moral sofrido, não é reparável.

Entrei em contato com os representantes do local, expus tudo, absolutamente tudo, o que aconteceu e a forma como me senti. Disse que queria ser ressarcida do valor pago ao salão e à minha fotógrafa (pela cobertura do making of), e, além disso, queria ser reparada pelo dano moral sofrido, que não foi pequeno.

Para minha surpresa, num primeiro momento eles concordaram, por escrito, com a reparação dos danos causados. Acreditando que tudo seria resolvido, prontamente respondi ao e-mail encaminhado por uma das proprietárias do salão, no qual indiquei meus dados bancários para que o depósito do montante pudesse ser realizado. Porém, após isso, não houve qualquer retorno. Foram inúmeras ligações feitas e e-mails enviados, sem nenhuma resposta, o que demonstra que a falta de respeito e o descaso continuaram após o “dia da noiva” frustado e só fizeram aumentar meu dano moral.

Diante desse quadro, não há alternativa a não ser ajuizar uma ação e requerer em Juízo a reparação dos danos sofridos. É exatamente isso o que farei, distribuirei uma Ação de Reparação de Danos Materiais e Morais, de modo a buscar, por meio do Judiciário, uma indenização por tudo o que passei. Isso porque, apesar das muitas tentativas de solução amigável da questão, não foi possível a obtenção de um acordo por meio do diálogo entre as partes envolvidas.

O que pretendo mostrar com tudo isso, expondo a vocês o que passei, é que devemos ter calma suficiente para, em caso de problemas, saber o momento certo de tomar as providências adequadas para solucioná-los ou repará-los, porque, por mais que algo insista em dar errado, o sonho, e, principalmente, a alegria de realizá-lo sempre devem ser maiores que os imprevistos.

Casamento_Livia e Rafael_1 Casamento_Livia e Rafael_2 Casamento_Livia e Rafael_3

Fotos: Nanda Gomes

converse com a gente
 0             0})
DEIXE SEU comentário
96 Comentários
  1. Raysa Soares, disse:

    Estou passando por algo super parecido com o profissional que eu mais quero que seja o melhor, foto e filmagem, exatamente como vc, depois de muita conversa ela não deu o braço a torcer a entremos com uma notificação para que ela veja nossa indignação com o descaso e tenha o bom senso de nos devolver o dinheiro que ainda não foi gasto com nenhum foto se quer.

  2. Kelly Araújo, disse:

    Nossa… assunto delicado esse… imprevistos no dia do casamento!!!
    Sei bem o que é isso… passei uma situação bastante tensa… casei em novembro de 2012, contratei um excelente buffet da minha cidade e, preocupada com uma possível falta de energia, contratei ainda um gerador que suportaria banda e iluminação (somente com a finalidade de não parar a festa). Na véspera do casamento, recebi uma ligação da gerente do buffet pedindo para que eu cancelasse o gerador contratado e pagasse à eles o valor correspondente, pois eles já estavam contratando um gerador mais potente para suportar a festa inteira, tendo em vista que o prédio não tinha energia, pois o transformador só chegaria na segunda feira após a minha festa!!! Entrei em pânico, pois saber que o prédio estava sem energia bem na véspera não foi fácil, passei o dia do meu casamento mal, chorando, imaginando que o gerador não aguentaria toda a minha festa… mas meus pais, noivo e cerimonial procuraram me acalmar afirmando que daria td certo… bem na hora da dança dos noivos a pista de leds apagou dancei bastante nervosa… passei boa parte da festa aflita com receio que algo pior acontecesse, meu noivo a todo momento pedia para que verificassem se os cabos do gerador não estavam aquecendo demais… quando a banda começou, consegui me divertir pois vi que estava “td certo”. Além disso, as fitas do bem casado estavam em cores diferentes da contratada e o DJ mandou outro em seu lugar, sob a justificativa que estava doente (era mentira, posteriormente descobri que ele estava tocando em outro evento e não quis perder o contrato). Graças a Deus, a decoração estava além do que eu havia imaginado, o dia de noiva foi perfeito, o buffet estava delicioso e a festa foi animadíssima…
    A situação com a pista de leds na hora da dança até hj não restou bem esclarecida, o DJ que estava lá na hora acusa falha no gerador, o buffet por sua vez aponta falha no DJ em relaçao ao manuseio do mecanismo de funcionamento da pista… depois disso a mesma funcionou normamente ao longo da festa!!!
    É claro que nenhuma de nós quer que algo estrague ou sequer atrapalhe um dia tão singular e especial… mas é necessário manter a calma e seguir em frente… não desejo o que passei a ninguém. Após o acontecido, não ajuizei nenhuma ação contra o buffet, apesar de td, pensei bem e vi que eles agiram com boa fé, afinal, poderiam mto bem agir com descaso em relação à falta de energia no prédio e deixar da forma como estava, apesar de td eles tentaram contornar a situação e alugaram, eles próprios, um gerador que comportasse toda a estrutura da festa…
    Querendo ou não, é uma marca triste que fica em meio a um dia que deveria ser “só alegria”…
    No mais, acreditem, seus convidados não perceberão nada… no meu caso, quando a pista apagou, meus convidados acharam que td estava planejado… hehehehehe
    Em relação ao DJ, senti somente a necessidade de “desabafar”, depois acabei me arrependendo, pois, obvio, a conversa não foi nada tranquila… ele não admitiu seu erro e eu me irritei bastante… mas tb optei por n entrar com nenhuma ação…
    Sorte à todas, meninas!!! Que nada de ruim aconteça… 😉

  3. Juliana Casagrande, disse:

    Nossa, confesso que fiquei um pouco assustada com os depoimentos… mas é muito bom termos esses “alertas” e sabermos que pode ser que não saia tudo como planejado… afinal, ficamos na dependência de muitas pessoas diferentes e precisamos confiar nelas, mas nem sempre elas são tão honestas assim..
    Bom, de qualquer forma agradeço o post e fico triste pelas noivas que passaram por esses descontentamentos… Mas Livia, vc estava linda… no fim foi um erro que deu certo, pq o salão não conseguiu te deixar feia!
    Felicidades a todas!!!

  4. Camila, disse:

    Adorei o post! Me caso daqui a um mês e já fechei praticamente tudo. Sei que imprevistos podem acontecer no dia mas acho que a escolha de bons profissionais podem reduzir bastante as chances de algo dar errado. Até o momento só tive problemas com a empresa de convites (que por sinal, foi uma indicação!) e após o casamento tomarei todas as providências legais para que isso não aconteça com outras noivas! Parabéns a Livia que conseguiu ficar calma e resolveu da melhor forma, acho que não conseguiria ter a mesma postura, pois como ela mesma falou, a gente se programa tanto e se dedica tanto para nada dar errado! Mesmo assim, boa sorte a todas as noivas!

  5. Leticia, disse:

    Livia, independentemente do mau serviço prestado, você estava linda!! Mas não nos conte só o “milagre”, conte o nome do santo para a gente nunca marcar nada nesse salão. Beijos

  6. Lívia Bueno, disse:

    Leticia, por favor, me escreva um e-mail e eu lhe digo o nome do salão, ok?
    Obrigada pelo elogio!
    Beijos

  7. Mari, disse:

    Meu casamento foi uma sucessão de erros e acertos. Graças à alegria de estar ali, comemorando com minha família e amigos queridos o meu casamento com o amor da minha vida, nada me abalou no dia. A frustração veio depois, ao pensar nos detalhes que passaram batido. Hoje superei, mas a frustração durou quase um ano. Foi bem difícil!
    Casei num salão chique, que estava impecável – serviço de buffet e decoração foram sensacionais. Tudo certo com os docinhos, com as lembrancinhas (feitas pelo decorador), com a igreja, com o vallet, com o vestido, com o bolo fake, com os convites, bem casados…
    Os erros crassos: 1) Contratei uma equipe de 2 fotógrafos e 1 assistente, e foi apenas um fotógrafo e 1 assistente-que-fotografa-super-bem. Resumindo: tenho uma dúzia de fotos porcamente feitas do making-of, em que sequer aparecem as pessoas que estavam comigo.
    2) A pessoa que me maquiou e penteou atrasou demais para concluir o trabalho (éramos em 4 para serem arrumadas), apesar de eu estar no hotel (quis fugir do tumulto dos salões) desde as 13h, sem massagem e outras frescuras. Era apenas maquiagem e cabelo em 4 pessoas. A equipe(3 pessoas) levou 7 horas para “terminar” o serviço: meu cabelo e maquiagem, e o da minha mãe, ficaram completamente diferentes do dia do teste. Naquele estilo “não brigue com o cabelereiro no dia do seu casamento”, cheio de spray, com um “laço” feito de cabelo, medonho. As 2 madrinhas que estavam conosco nem tiveram tempo de colocar cílios postiços. E não havia tempo para consertar, já estávamos MUITO atrasadas.
    3) A assessora do dia não manteve alguém de olho nas garrafas de bebidas que foram entregues ao buffet. Embora eu tenha comprado para serem consumidas, não consigo acreditar que numa festa para 200 pessoas, em que 10% dos convidados não bebem nada e 20% bebem “socialmente” tenham sido consumidas 18 garrafas de whisky. Me parece claro que o pessoal do buffet esvaziou as garrafas e a assessora se contentou com a informação, sem checar.
    Durante muito tempo doeu muito, senti raiva, vontade de processá-los, de fazer barraco, mas depois de muito tempo me acalmei, deixei quieto, e hoje estou feliz. Não os indico para ninguém, e inclusive já fiz questão de contar a história para muitas noivas, mas passou. Já estou casada há 2 anos (sim, eu ainda visito o blog, rs) e esperando um lindo bebê. E quer saber? Não podemos deixar que coisas “menores” atrapalhem a beleza do nosso dia. Claro que há casos em que a situação é mais grave, com erros da decoração, buffet que some, fotógrafo ou dj que não aparece, mas para os detalhes, deixem para resolver depois, com calma. Importante é curtir seu dia, encher seu noivo de beijos e abraços, seus pais, seus sogros, os amigos queridos… Casar é, antes de tudo, celebrar o amor, e não uma obrigação de ter a festa mais impecável de que se tem notícia. Precisamos descomplicar um pouco as coisas (e acho que por isso os mini weddings estão tão em alta, algumas noivas parecem ter adotado este ponto de vista).

  8. Michele Carvalho, disse:

    Livia,você estava linda no seu casamento…. muito feliz e sorridente!!!pelo seu depoimento mostra que você tem energia boa e sabe reverte tudo!!! PARABÉNS! que Deus continui lhe iluminando sempre…..sei que teve esses conflitos, mas não estragou a beleza do seu dia!
    beijos

  9. Thata, disse:

    Também passei por alguns problemas com os fornecedores contratados para o meu casamento que aconteceu em 27/10/12 em SP.
    – para o dia da noiva, segundo a dona do salão, ela estudava seu perfil e te colocava com um profissional que fosse do seu estilo. No dia do teste a tal profissional nem apareceu e o substituto era um arrogante que não ouvia minha opinião. Reclamei com a dona e trocaram por um mais atencioso.
    – na decoração da igreja, feita com o fornecedor mais famoso, as colunas ficavam no caminho e eu tive que desviar ao entrar na nave. Isso porque no dia do fechamento do contrato eu avisei que o vestido era grande, mas insistiram que as colunas não atrapalhariam mais do que se as flores fossem colocadas nos bancos. Mandei um email reclamando, mas nunca responderam.
    – e o buffet simplesmente não serviu os sucos e aperitivos alcóolicos contratados. Pedi reembolso e o dono teve a cara de pau de falar que o número de convidados havia sido maior que o contratado, então ficaria elas por elas. Eu que conhecia minha lista de convidados de cabo a rabo sabia exatamente quantas pessoas tinham lá, e depois de muitos emails ele me reembolsou um valor menor que o justo, mas tudo que eu queria era mostrar que eu tinha razão e evitar mais dor de cabeça com um processo.
    No dia nenhuma dessas coisas atrapalhou meu casamento ou minha alegria, mas depois da festa você começa a relembrar o que deu errado. Com essa historia do buffet não aproveitei minha lua de mel como poderia e aguardo 1 ano de casada pra ter uma lua de mel como se deve.
    Boa sorte às futuras noivas!

  10. Mariana, disse:

    Gente, gostei muito desse post mas o que me impactou mesmo foi os comentarios e a quantidade de noivas que contaram como passaram pela mesma situação!
    Eu sei que muita gente acha que isso de sair processando todo mundo é coisa de advogado mesmo! Mas a gente tem que ir atras dos nossos direitos sim,e infelizmente pelas vias judiciárias quando um acordo não é possível, como foi o caso da Lívia. Mesmo que seja por uma coisa pequena que a gente ache que é bobeira e perda de tempo, é só parar um segundo pra pensar: “se fosse o contrário e eu deixasse de cumprir a minha parte será que a fornecedora iria deixar passar?”
    Uma lastima que esse tipo de situação aconteça. Na minha opinião a Livia fez corretíssimo por ter cobrado um posicionamento dos fornecedores que não fizeram o que foi acordado, mas ela não deixou uma situação chata como essa estragar o seu dia, pelo contrário ela está linda e muito feliz nas fotos!

  11. Tatiane Leal, disse:

    É lamentável, mas muitos fornecedores e profissionais não se preocupam com o sentimento da noiva, embora prometam muito.

    Me casei em novembro e cotratei meu dia de noiva em um salão requisitado aqui de Feira de Santana, também contratei o dia de noivo para meu esposo e a maquiagem e penteado da minha mãe.

    O salão não nos atendeu como eu pensava que seria, logo na chegada eles nao acharam o meu pacote pago, me perguntaram mas acho que nao acreditaram no pacote que respondi ter feito, perguntaram se eu havia trazido o comprvante e eu disse que não.

    Eles fizeram meu dia de noiva, mas muitos ítens ficou sem fazer, eu vou at´voltar lá pra fazer um conjunto de coisas que segundo a dona do salão não daria tempo.

    Até aí menos mal, mas meu noivo saiu às pressas do salão para fazer a barba no hotel, pq não estava no pacote, então ele saiu correndo, voltou para o salão, fez a maquiagem e voltou para o hotel onde se arrumaria. (Poxa! Já que a barba nao estava no pacote, não poderiam ter feito e cobrado a parte?)

    Comigo aconteceu que o meu cabelo que foi preso, despecou uma parte ainda na entrada da igreja e eu nem pecebi, só vi isso na festa. E o meu vestido nao foi fechado direito, eu lembro que a moça que me arrumou falava “Como que fecha esse vestido? Como que fecha esse vestido?” Mas enfim ela nao fechou direito e eu fiquei muito chateada ao percerber que o vestido ficou muito diferente das provas.

    E para acabar de completar o salão estava já fechado quando saí e não havia auxiliar nenhuma para me ajudar a entrar no carro, eu me senti muito abandonada. A dona do salão que já estava saindo para malhar, foi que ao ver que eu ia entrar sozinha me ajudou.

    Eu fiquei tão chateada que ainda não voltei ao salão para fazer as coisas que faltam e a minha vontade é de dizer para as noivas que esse salão tem nome, mas não é tão atencioso com as noivas.

  12. Marina, disse:

    Eu tive o casamento dos sonhos, economizei, parcelei, paguei TODOS os formecedores top de SP. Nao só de confiança, mas que estao em todos os blog e tem nome a zelar. Indico: Zest buffet, Compagnie assessoria, Puntualle salao, Estudio de Producoes decoracao, DB2 som, Marina Favato fotografa, 4GP video, Fazenda Vila Rica
    Apesar de todos os cuidados, de nao ser advogada mas ter lido todos os contratos e garantido que nao teria falhas, o tradutor que contratei para a cerimonia (meu marido é irlandes) simplesmente nao fez o trabalho dele. Impediu que minha mae e o padre amigo fizessem uma homenagem aos noivos pq nao saberia traduzir. Sumiu apos a cerimonia! Custou uma fortuna para nao fazer nada. Ou seja, imprevistos acontecem em todos os casamentos, o importante é vc noiva estar ciente que: o que importa é estar casando com o homem da sua vida, seus convidados queridos, sua felicidade! E cá entre nós, já perceberam que o noivo raramente estressa? Rsrsrsr

  13. Lia Yano, disse:

    Já gosto bastante do trabalho que a Fernanda faz e as informações que dispõe aqui para todas nós que estamos organizando ou organizamos o nosso casamento – sozinhas ou com assessoria. Gostei bastante de seu relato e espero que tenha sucesso no seu processo. Espero que as outras noivas também tenham essa iniciativa, sendo advogadas ou não, de pleitear pelo reconhecimento de seus direitos. Se possível, gostaria de saber quem seria esse prestador de serviço para não considera-lo. Enfim, boa sorte no processo e fico feliz que não tenha se deixado afetar pelos contratempos! Parabéns também para a Fernanda pelo belo trabalho no site. Beijos e Abraços a todas.

  14. Camila, disse:

    Em Sorocaba, em 2011, saiu no jornal uma carta do leitor da mãe de noiva que contou que a filha e o genro marcaram, com mais de 1 ano de antecedência porque a Igreja é muito concorrida, seu casamento na Catedral Metropolitana e, desde então, a equipe de casamento dizia que atrasos não eram toleráveis e o mesmo foi dito no encontro de noivos e uma secretária, na semana do casamento, ligou para a noiva frisando, novamente, a pontualidade.
    A mãe da noiva, na carta, disse que noivos, pais e padrinhos chegaram, inclusive, 15 minutos antes da hora marcada e o pároco oficial da Igreja não chegava (era o único casamento do dia) e, apenas após 1 hora, outro padre, de outra paróquia, chegou e realizou o casamento e, este atraso, teve como consequência, além do nervosismo, aflição e medo de todos, pontos negativos na recepção, já que salão, buffet, banda etc são contratados por hora e, assim, a festa teve uma hora a menos.
    A mãe da noiva questionou a postura do padre e da paróquia, já que prezaram tanto a pontualidade e estes responderam, no mesmo jornal, que o padre teve um compromisso inadiável e chamou o outro padre e este atrasou uma hora e ainda afirmou que se a noiva pensou apenas na festa, entendeu mal o sacramento da matrimônio.
    Resumindo, as cartas deram muito o que falar no jornal e vários leitores mandaram cartas a favor da noiva, já que ela pagou (e muito) para casar lá e foi desrespeitada pela paróquia e pelo padre. Lembro-me até de um leitor sugerir que ela fosse ao PROCON. Deu tanto o que falar que o jornal anunciou que o assunto já havia sido muito debatido e aquilo acabaria ali.

    Nem quero entrar no mérito de quem está certo ou errado, apenas lembrei-me deste caso ao ler seu post, pois todos falam de buffet, salão etc, mas ninguém nunca fala de coisas assim com as Igrejas.

  15. Lilian, disse:

    gostaria de saber o email da Livia.
    Minha filha se casa daqui a 1 mês, e preciso saber o nome do salão que não cumpriu o contrato.

  16. Paula Brandão, disse:

    Oi, Lívia! Vou me casar este ano em dezembro – imagine só, o pior mês, o mais entupido de casamentos e festas. Estou desesperada com o seu relato e por isso queria saber se você pode me enviar por e-mail o nome do salão que te proporcionou tanto desgosto justamente no seu dia mais especial.

    Obrigada por compartilhar sua experiência! beijos

    Paula

  17. Erlayde, disse:

    Nossa! realmente fiquei preocupada com isso, já estou procurando salões para o dia da noiva e fiquei agora até com medo. Gostaria que me passasse o nome deste salão para que eu nem passe por perto. Alias, vc estava lindíssimaaaaa.

  18. Flávia, disse:

    Primeiramente parabéns pelo post e por conseguir deixar as frustrações de lado e aproveitar o seu casamento!
    Eu me caso em Maio de 2015 e estou começando a visitar os fornecedores agora para contratar todos os serviços, confesso que seu depoimento assusta um pouco, pensar em planejar durante anos, cada detalhe pagar tudo antecipado e no dia a má fé e desleixo das pessoas estragar tudo isso é absurdo!!
    Boa sorte com a ação, tenho certeza que com isso pelo menos esse salão nunca mais tratará mal uma noiva.

    Beijos
    Flávia

  19. Camila, disse:

    Primeiro parabenizo pela iniciativa do blog. Tive problemas com o meu dia da noiva, e por isso me atrasei 1:30 hs para a cerimônia. Com isso não aproveitei minha festa, não tirei foto com alguns padrinhos que foram embora, quase perdi o horário do ônibus na rodoviária e ainda tive uma discussão com meu esposo na lua de mel. Enfim, foi frustrante. Meu dia da noiva começava às 11 hs, mas fui atendida a prazo, limpeza de pele, e aguarda um pouquinho… unha, aguarda um pouco, e isso de aguardar atrasou o penteado da minha mãe e irmã que também fariam comigo…. sem contar que elas marcaram clientes e não me falaram que seria desse jeito. Paravam de me atender para atender outras pessoas. No final, como o salão era próximo da igreja, minhas tias e primos acabaram indo pra lá fazer pressão, pois a igreja estava lotada e as pessoas impacientes. Foi um dos piores dias da minha vida, pois até hoje escuto piadinhas. Você acha que se entrar com uma ação tenho chance de ganhar?
    No album de meu casamento dá para ver a hora que entrei na igreja e tem pessoas que podem testemunhar a meu favor.
    Abraços,
    Camila

  20. Lívia Bueno, disse:

    Sim, Camila. Você tem chances, especialmente se tiver como provar o que aconteceu.
    Beijos e boa sorte.

  21. Fabiola, disse:

    Olá a todas!! Li os relatos e fiquei preocupada. Minha idéia é me arrumar em casa, já pra não ter estes tipos de problemas que li aqui. Mas até agora todos os profissionais que entro em contato não tem mais minha data. Ou se tem, o preço é absurdo. Então ou me arrumo num salão mesmo ou eu mesma me arrumo. Alguém tem algum profissional pra me indicar? E Lívia, vc estava linda!!! Se alguém puder me ajudar eu agradeço muito. Bj

  22. Vivian de Castro, disse:

    Lívia, tenho amigas procurando salão para o dia da noiva, por favor nos fale que salão foi esse!!!um absurdo! Admiro sua postura, e é isso mesmo, tem que abstrair e saber o momento de ir atrás dos danos causados por estas empresas. Ótimo post! Parabéns você estava linda!!!!

  23. Elaine, disse:

    Olá pessoal, lendo tantos comentários fiquei com vontade de dividir o que aconteceu no meu casamento. Casei dia 12/01/13, o que deveria ser um dia dos sonhos foi um pesadelo para mim literalmente. Quando penso no meu casamento tenho vontade de chorar… simplesmente tudo que poderia ter dado de errado deu no dia!…a cabeleireira atrasou meu casamento 4 horas, eu me casei em uma chacara aqui em Sorocaba, choveu tanto no dia que encharcou toda a decoração da tenda e do salão. O buffet “largou mão” da decoração e não fez o biombo de entrada, não fez a mesa de café, por causa do atraso eles servirão o jantar correndo, o bolo foi servido as pressas, as lembrancinhas foram entregues por duas convidadas minhas. Contratei recepcionista, manobrista, segurança, organizadores, todo mundo estava perdido na festa, meus convidados precisaram se mexer para buscar cadeiras, mesas, se servir, a banda tocou todas as musicas pela metade pois estavam atrasados para outro casamento, o cerimonialista fez minha cerimônia em 15 minutos, pois tb estava atrasado para outro casamento tudo por causa do atraso da bendita cabeleireira. Nossa, chorei tanto depois. Ninguém estava preparado para aquela chuva, mas digo á vocês, quando se trata de o sonho de uma pessoa que esta pago toda a atenção, ajuda, honestidade por parte dos fornecedores é pouca. Ainda estou tentando me recuperar do choque, mas graças a Deus o mais importante aconteceu eu casei com uma pessoa maravilhosa e quero dividir minha vida com ela. Com certeza isso é o que vale…

  24. Giovanna Como, disse:

    Olá!!!!
    Gente, lendo todos esses comenários, comecei a ficar preocupada…
    Me casarei em novembro agora e morro de medo de que algo grande dê errado (para as coisas simples, já estou até preparada)…
    Já fechei meu buffet, porém acabei encontrando algumas reclamações recorrentes dele…E as reclamações batem em: comida fria, pouca comida…. Alguém tem alguma dica do que posso fazer para evitar este problema justo no meu casamento?

    Obrigada

  25. Pingback: Atrasos no making of – como evitar | blogdanandagomes

  26. Nanda Gomes, disse:

    Querida Livia e noivinhas,

    eu levei muito tempo para conseguir ler este post da Livia, aqui no blog da nossa super Fernanda Floret.
    Confesso que virei o ano e entrei 2013 com aquela torturante tarde de making of em minha cabeça.

    Vocês não fazem idéia do que é ver que aquela pessoa que você está fotografando com carinha de abandono – e crescente abandono – num dia tão importante. Ao invés de fazer fotos de alegria, você passa a cobrir um certo ar de angústia. Você se torna testemunha de uma sequência de erros.

    O que posso dividir com vcs é o seguinte:
    – Para que os atrasos de making of sejam evitados, existem duas lendas urbanas que precisam vir abaixo, no tocante ao dia da noiva:
    Primeira Lenda

    “A noiva deve ficar pronta por último”

    Segunda Lenda

    “A Igreja (local da cerimônia) é logo aqui ao lado, de carro, você vai levar 5 minutos para chegar lá!”

    Essas duas lendas, juntas, acabam gerando o resultado infeliz tão frequente e cada vez mais comum atraso das noivas.

    Minha sugestão: controle melhor o seu tempo no making of

    Eu escrevi um pouco mais sobre isso em meu próprio blog, na tentativa de orientar às minhas noivinhas. Para quem tiver curiosidade, o endereço é
    http://blogdanandagomes.wordpress.com

    Para Livia, eu desejo uma felicidade eterna. Ela é um doce. E a festa dela foi incrivelmente animada!
    bjks,
    Nanda Gomes

  27. Carla, disse:

    Gente, antes mesmo de casar eu já estou tendo problemas com fornecedores. Na igreja em que eu me decidi casar, eles só trabalham com uma decoradora (a mais cara). Não achei justo não ter concorrência, assim ela coloca o preço que quer. Enfim para nós livrarmos de stress aceitamos paciente esse imposição feita pela igreja. Marquei uma visita com a tal florista que cobrava os olhos da cara por uma decoração bem mais ou menos. Como eu sempre sonhei com uma igreja belíssima para o meu casamento, acabei fechando o pacote mais caro. Mesmo assim, ela não responde os meus emails, não aceita as minhas sugestões, marquei com ela duas vezes e ela me deu o cano (Não apareceu). Estou super triste. Quis mudar de igreja, mas não tem outra com essa data disponível. Já chorei, chorei, mas não tenho escolha. Ou é ela, ou ela.

  28. Dáfini Bevilacqua, disse:

    Livia! Tive varios problemas em meu casamento, o bolo cenográfico era extremamente diferente do que eu escolhi, deram minha chuva de prata aos convidados na hora da balada, os buquês que fiz na madruga anterior ao casamento inteira para que minhas madrinhas entrassem na cerimonia porem a cerimonialista (e dona do Buffet) permitiu que elas entrassem sem os buquês e somente entregou a elas no final da cerimonia , além do mais a dona do buffet disse aos meus convidados que os lenços umedecidos da árvore de digitais eram lembrancinhas, então todos os convidados levaram as 12 caixas de lenços umedecidos para casa e os que quiseram carimbar suas digitais e não haviam lugar para limparem seus dedos resolveram limpar em meu livro de assinaturas e até mesmo limpar no meu próprio quadro que ficou horrível depois da festa, a dona do buffet não verificava se as frutas da cascata de chocolate estavam acabando ( que foi uma tarefa muito complicada pois isto coube a mim fazer além do mais segundo o combinado o serviço de cerimonial estava incluso ) o que causou um stress incalculável e por fim discuti com meu noivo no em nosso casamento e o PIOR de tudo foi que no momento da entrada dos padrinhos e do noivo o telão do buffet passou nossas fotos do ensaio pré casamento no telão como foi combinado e no momento dos votos, das alianças e dos conselhos o salão colocou uma propaganda do buffet no telão que estavam passando nossas fotos e agora 50% das minhas fotos mais importantes então com a propaganda deles bem em cima das nossas cabeças… como devo proceder em relação a isso?

  29. Lays, disse:

    ótima matéria, passei por uma situação igual da Kelly, meu dj também me deixou na mão, colocando outro em seu lugar para tocar em outra festa… Porém, o substituto não agradou muito!!! Mas o que realmente importa é que o Homem que eu casei me faz muito feliz, e houve muito amor naquele dia!!!

  30. Ana Monteiro, disse:

    Pois é…exatamente para evitar o que eu estava prevendo, desisti de um buffet, com mais de 30 dias do dia da festa, já tinha pago quase a metade do total, porque não diziam exatamente o que iriam fazer,não compareceram á primeira reunião que foi marcada para esclarecimentos sobre a festa, disseram que para as 120 pessoas levariam apenas 30 pets, e entendi que não entendiam muito de casamentos, mas apenas faziam eventos.O dono era meu conhecido,frequentava um mesmo lugar que eu, e ele ficou com raiva de mim, não falou mais comigo, não responde mais meus e-mails e o pior…Não devolveu o meu dinheiro, alegando que já tinham investido na festa, sendo que nem tinham comprado ainda nada de comidas, e tive que contratar novo buffet custando o dobro, que me afirmou que só compra as coisas do buffet com 10 dias para o evento, pois comida estraga e não há necessidade…então, o outro buffet ruim mente quando diz que ”já investiu”, por isso não me devolve o dinheiro…isto é roubo, e não tenho como entrar no pequenas causas contra ele, pois não tem CNPJ e não sei o CPF e nem o endereço dele…o Juizado não quer aceitar…Então, perdi o que paguei e ainda vou pagar o dobro pelo outro buffet novo…não sei o que fazer…o casamento será daqui a uma semana…Cuidado, ggente!!

  31. Lady Daya, disse:

    Ola galera e Fernanda, primeiramente estava tudo lindo no seu casamento, Parabéns.
    Eu me casei dia 13/10/2013, porém, o que eu mais estava confiante era o salão de beleza na hora de me arrumar. No dia se arrumou minhas 2 cunhadas, a daminha e as 2 floristas. Até então achei que sairia tudo ok, pois eu já havia adiantado muitas coisas na semana como: unhas, depilação e sobrancelhas.
    Mesmo assim me atrasei 1:00 hs, o que resultou na perca da minha festa, pois era tudo cronometrado e teve que ser um pouco corrido (comida, valsa, gravata e balada). Apesar dos conflitos, o atendimento foi ótimo e a maioria dos convidados nem se quer perceberam (apenas a minha família e a dele que já sabiam como deveria ser). Mesmo assim me torturo até hoje por causa dessa fatalidade, pois o que eu mais frisei pra mim e meu noivo é que eu iria me divertir como nunca e por isso não iria atrasar. Me divertir sim, não posso negar, mas ainda sinto aquele aperto no peito de angustia e tristeza, até já chorei. Fora que até a minha Lua de mel não curtir tanto, pois fiquei de TPM a semana toda.
    Em fim, o principal de tudo são os Noivos e a Cerimônia, o que eu não posso reclamar, pois foi lindo ver meu Noivo no altar quando eu entrei sorrindo e me esperando.
    O meu problema não foi nem de perto o que algumas de nossas colegas postaram aqui e por isso sinto tanto por elas, quanto senti por mim e quero que saiba que o que importa é o agora e nada mais…. Sejam todas felizes.!!!

  32. thalita, disse:

    Livia antes de eu casar estou tendo problemas: A igreja derrepente ligou para mim, e disse que não posso mais casar no horário que marquei para as 20:30 da noite, isso pq esta marcado desde outubro do ano passado, depois que já contratei tudo, já fiz os convites e comecei a entregar, o que fazer neste caso? Eles me deram duas opções ou casar em outra igreja ou casar as 17h. Mas se eu escolhi esta igreja neste horário com tantos meses atrás é pq eu realmente quero casar as 20:30 naquela igreja. Como fica o meu sonho e tudo que já fiz baseado nesta igreja. Como devo proceder?? fico no aguardo.Obrigada.

  33. magda prado, disse:

    #fica a dica#

    Coloquei a lista de presentes de casamento nas lojas CAMICADO, TOCK STOCK E PONTO FRIO

    A CAMICADO e TOCK STOCK deram super atendimento, recebi os presentes em credito conforme o combinado fui a loja retirei os produtos conforme escollhi muitos igual ao da lista, outros troquei por outro produto na loja…..e tudo muito eficaz….sem problemas,,,tudo ja foi entregue, e estou muito feliz com meus presentes….

    a ponto frio virtual o atendimento é pessimo! um embuste! um engodo!!!!

    Usa a confiança do nome Ponto Frio por ser uma empresa grande e lhe da confiança, mas a loja ponto frio virtual nao permite que retire os produtos na loja, nao tem estoque, nao tem produto na lista, o produto aparece indisponivel, mesmo tendo o produto na loja, recebi mais de cinco mil em presentes e nao consigo retirar os produtos que me interessam…um stress….

    espero que muitas noivas possam se livrar desse problema com essa especie de lista nessa empresa….nao esqueça esse nome! Lista de casamento Ponto Frio virtual

    Agora a Camicado, foi muitooooo bommmm, voce chega na loja recebe a lista comprada, um carrinho para passear pela loja e ir comprando os produtos, imaginando a sua casa e compondo os ambientes, e sai da loja com seus produtos, um prazer unico!!!!!!!!!!!!!

    A tock Stock tambem, honesta, passeia pela loja escolhe, entregam montam, tudo perfect

    #fica a dica#

  34. Roberta, disse:

    Olá, Fernanda, acredito q o seu post pode ser um pouco antigo,mas me senti extremamente frustrada com o meu casamento, eu queria algo simples e simbolico, mas o buffet nao cumpriu com mtas exigencias em contrato, os salgadinhos servidos estavam frios e era pura massa, faltou o ambiente lounge, o dj q tb era do buffet simplesmente esqueceu nossas msicas de entrada e tive q pegar no meu pc qd estava indo me casar. Foi uma loucura, claro q nao transmiti isso na festa, mas uma tristeza e decepçao me acumularam, eu pretendo entrar com um processo pois tds os convidados reclamaram da comida, fiquei mto decepcionada. Gostaria de saber como posso provar toda essa falta? Posso solicitar os convidados? Sera q vale a pena entrar com o processo? Obrigada.

  35. Thais, disse:

    Olá noivinhas e casadas!
    Eu casei agora em outubro em Maceió e foi tudo ótimo graças a minha cerimonialista, a Drica da Lumiar Produções. Porque sem ela estava literalmente ferrada pois a decoradora, a senhora Theresa Monteiro, não colocou as flores que combinados e nem sequer entregou meu buquê.
    Gostaria de fazer um alerta às noivinhas que se casarão em Maceió.
    Gostaria de agradecer aqui ao vestidodenoiva pelo aplicativo de casamento que foi super útil.
    E fica a dica para quem for casar em Maceió. Nada de contratar a Theresa Monteiro.

  36. Bruna, disse:

    Ola! meninas vendo suas historias não posso deixar de compartilhar a minha que infelizmente também não foi o sonho de toda noiva. è muito triste quando passamos anos planejando aquele dia que deveria entrar para nossa história como o mais inesquecível e der repente se torna um pesadelo que queríamos apagar da memoria e não dá fica la no canto aquela magoa, aquele sonho frustado.Meu casamento foi recente agora em novembro e seria numa chácara ao ar livre. Mas tudo saiu do script.Para começar estava no salão quando meu noivo ligo dizendo que o Dje a cerimonialista não sabia as ordens das musicas da cerimonia (sendo que eu havia encaminhado aos dois via e-mail) o buque tive que joga fora e providenciar outro no salão pois as flores que pedi estava horrivel… Bem na hora que cheguei ao local todos em fila ja para entrar…despencou chover e tiveram que correr com a decoração para dentro (sorte que ja tinha me programado para um plano B) ai o Dj não conseguia ligar o som para a entrada dos padrinhos, que junto ao meu noivo ja ficaram nervosos com a cerimonialista…as florista que eram bailarinas foram posicionadas em ordens invertidas pela cerimonialista (isso que desenhei para ela a ordem) na minha entrada uma das cerimonialista não sabia nem me orientar com a entrada.. o som ficou mais alto que os clarins que contratei… e bem no meio da cerimonia ACABA A LUZ por essa não esperava… a chácara tinha gerador mas as únicas pessoas que tinha o telefone da dona era eu e a cerimonial que nem se que tentou ligar, nem mesmo na companhia de luz, nesse momento eu e meu noivo ja não prestávamos atenção a nada mais na cerimonia a daninha entrou sem musica, ate que lembrei que por sorte tínhamos uma caixa de som que dava pra ligar direto ao not. porem na nossa saída o DJ´não conseguia colocar a musica certa e tocava umas musicas estranhas que não tinha nada ver com o que havíamos escolhido. fiquei muito frustada.Pela falta de luz tentamos adiantar tudo pois como era no fim da tarde ainda dava para aproveitar a claridade. meu convidados começaram a ligar na companhia atras da luz e meu irmão foi correndo comprar umas velas. Por sorte no inicio do almoço volto a luz. tinha mesas sem garfos e facas e alguém precisava apagar as velas. e a Cerimonial me responde que primeiro iria jantar depois ela via o que fazia. meu sangue subiu…na hora do telão o Dj mais uma vez não conseguia acerta o áudio do video e em vez das cerimonialista ficarem prontas para apagar as luzes e depois acende-las não teve que meus convidados fazerem isso. Ai não aguente e reclamei com uma delas que tava tudo desorganizado e nao estava vendo elas fazerem nada. a mesma ficou brava e disse que não iria fazer mais nada. e não fez mesmo.por fim o baile seguiu apesar das musicas não estarem da melhor … Terminei o dia que não via a hora de ir embora não aproveitei nada, não jantei nao me diverti so queria que acabasse tudo. conversei com a chácara e vão me pagar um valor pela falta de luz. e entrei com uma ação no procon contra a Mea eventos responsável pela decoração e cerimonial. e o dj por sorte não havia pagado tudo e fico por isso. Nada mudara os erros e fazer volta atraz so espero que ninguem passe o mesmo que eu. Portanto aconselho conhecer muito bem os fornecedores se possivel ir a eventos do mesmo.

  37. Daiane, disse:

    Bem… me casei em novembro de 2014… eu tambem.tive problemas.com meu dia da.noiva. Nao tinha roupao.para ficar… nao tive toalha de banho… nao prepararam a.banheira… quase nao.tinha.agua e.espuma.mto.msm… a.fotografa se desdobrou para conseguir.tirar algumas.fotos.. porque a.agua era tao.pouca que nao.cobria meu.corpo.. fiquei.quase uma.hora esperando.o.almoco.. isso contibuiu para atrasar minha arrumacao… eu casamento foi marcado.para 17:00, porque meu.sonho sempre.foi casar de dia… quando.fui.17:00 meu.noovo liga e fala para eu aguentar um.pouco.no.salao pq tinha atrasado a arrumacao.do som… Quando eu cheguei.no.sitio meu noivo ainda .nao tinha chegado… e ainda tivessemos.que esperar um casal de padrinhos… o padrinho que ficou encarregado de arrumar o.som .. mas ele deixou muito para em.cima da.hora..acabou se.atrasando e atrasando meu.noivo…acabou.que casei a noite… meu casamento teve 2:30 de atraso.. comecou 19:30… por conta.disso.as.fotos.nao.ficaram tao.boas.. pq os.fotografos.falaram.que.faltou iluminacao do local… mas.enfim. estou casada..Claro que me.pego varias vezes.pensando em.tudo.que deu errado.. do meu sonho de casar de dia que por falta.de compromisso de terceiros.n.aconteceu… mas.o.importante q o casamento.aconteceu e que somos.felizes…

  38. marcus, disse:

    Boa noite. Meu casamento esta marcado para novembro deste ano. Fizemos um contrato com um salão maravilhoso, estamos pagando uma fortuna para os preparativos e tal. Um casal super simpático nos recepcionaram. Combinamos tudo direitinho com eles, se puseram a estar a frente de tudo, organizando e deixando o nosso dia maravilhoso e inesquecível. Nesta semana recebi a notícia por este casal de que estariam saindo do salão devido a uma briga com o dono, que inclusive é o pai da mulher. O pai neste momento esta a frente das organizações do salão. Ele quer realizar um novo contrato assinado por ele e reorganizar tudo aquilo que foi combinado anteriormente, ou seja, não será conforme combinamos antes com o casal. Confiamos no trabalho do casal e eles nos abandoaram. Muitas coisas foram acertadas verbalmente. Gostaria de saber se cabe alguma ação em relação a este problema. Nos sentimos lesionados e prejudicados. Um forte abraço. Aguardo contato.

    • Fernanda Floret, disse:

      Marcus, eu não sou advogada para responder, mas o que foi acertado verbalmente você não terá como justificar e cobrar. Tudo, absolutamente tudo, deve estar no contrato. Somente o contrato tem validade. Obrigada

  39. Pollyana, disse:

    Achei que meu casamento tivesse dado algo errado, mas li algumas mensagens e posso agradecer que deu foi certo.
    Mas vou contar.

    Me casei dia 18/04/2015 em MG , acompanhei tudo muito de perto, fiquei com o decorador até as 14:00hs do dia, entrei no salão para me arrumar as 14:30 hs com a cabeleireira querendo me matar rs… cheguei e 3 das minhas madrinhas atrasaram muito o que atrasou tudo um pouco, fiquei bem gripada no dia e resolvi tomar dois remédios de uma vez que me deram..bom..fiz meu making, minha massagem e brindei com as madrinhas, comecei a me trocar as 20:00 hs ( horario que estava marcado a igreja) e detalhe se atrasa o padre acelera o casamento, já comecei a ficar nervosa, era 20:32 hs estava saindo do salão, cheguei na igreja as 20:36 hs em ponto já super nervosa com o atraso (odeio atrasar ) chegando meu sobrinho que entraria com minhas duas daminhas na minha frente não quis entrar, chorou muito e eu junto ( mas super compreensivo, ele é uma criança de 3 anos e 5 meses e sempre disse que não ia entrar rsrs) enfim, minhas pequenas entraram e em seguida eu com minha mãe, entrei super feliz, sorridente na linda igreja com tapete espelhado e dos lados flores brancas.
    Padre celebrou o casamento , saímos ao som do Marcelo Jeneci ( Pra sonhar) e fui para o salão de festa ( que era do lado da igreja, tanto que fomos a pé ) chegando no salão estava um sonho, como sempre sonhei, uma mesa de bolo maravilhosa, o bolo fake encantador, tudo certinho tudo perfeito, a pista de dança maravilhosa.
    Dancei minha valsa, brindei com os padrinhos e dali comecei a beber…rsrssr joguei o buque ..dancei mais… me derramaram VINHO no vestido ( o qual não me abalou nenhum pouco ) e bebi mais… a banda tocando e eu lá cumprimentando os convidados e me divertido, por volta da 1:30 hs comecei a ver tudo rodando rsrsrs ( detalhe a festa começou as 21:10) e só me lembro de acordar no outro dia no hotel rsrssr…
    Resumindo,,, sai mais cedo que os convidados rsrs e fiquei chateada por não ter dado atenção a eles como mereciam.
    Outra coisa que me contaram também, pq não vi …que no banheiro o pote de bala ( a qual havia mandando fazer pesonalizada ) não estava rsrss estava uma da Hamburgueria do meu cunhado rssrrs até então pra mim indiferente achei graça.. e só o pessoal de SP reconheceu… outra coisa que me falaram é que 13 garrafas de Whisky acabaram ( já no final ) mas faltou..como pode??? rs 13 garrafas de Whisky para mais ou menos 238 convidados acabar, sendo que havia 250 litros de chopp( consumiram 200 litros) bar de caipirinha, vinho tinto ( foram consumidas 48 garrafas) e 62 garrafas de espumantes consumidas..fora energético com vodka também que consumiram bastante, e muitos ali não bebem… rs fiquei de cara como beberam esse dia..POREM FELIZ pq todas as bebidas comprei separada do buffet para serem CONSUMIDAS.
    Bom é isso … no dia meninas sempre tem algo que não sai como esperamos, MAS o importante é lembrar o verdadeiro sentido do casamento : O AMOR e isso que importa.

  40. Joyce Resende, disse:

    Me casei em 27/07/2013 e até hoje fico triste ao lembrar dos músicos da Cerimônia, não saiu como o combinado, meus convidados ficaram comentando…. Fiquei arrasada! Quando eu estava organizando meu casamento descobrimos que meu pai estava com Câncer, ele faleceu dois meses antes e foi muito triste! Sonhava que mesmo sendo um casamento simples, pelo menos que desse certo…. A música foi com que mais me preocupei…. Não tem um dia que não me lembre do ocorrido! Adoro tudo relacionado com casamentos.

  41. Noemi, disse:

    Me casei em maio de 2015 e como sou cerimonialista e trabalho com “sonhos” sei bem o que é o dia do casamento.Sou uma pessoa comprometida com meu trabalho,por isso corro atrás para que tudo saia como planejado e não poderia ser diferente no meu casamento,é claro.Tentei fazer o máximo para que tudo saísse bem,apesar de não poder estar pessoalmente executando o meu trabalho,tive que confiar em outros profissionais.Algo que faço questão numa festa e não abro mão,é a ambientação,iluminação…Pois bem,meses antes contratei um Dj que me prometeu realizar esse sonho,luzes lindas,nossa,coqueiros com lampadas em hqi verdes,tudo ficaria perfeito,salão com ambientação deixando ainda mais linda minha decoração.Fiquei tão feliz com a promessa dele,confiei tanto que por vezes indiquei para outros clientes antes do meu casamento.Na ocasião do meu casamento,meu marido chegaria num helicóptero,tudo combinado para impressionar a todos.Lógico que o pouso no gramado necessitaria de iluminação,coisa séria.Bom,tudo lindo e arrumado,o dj ja havia levado o som,mas meu minha cerimonialista notou que faltavam as luzes e foi falar com ele,o mesmo atendeu o telefone e disse q colocaria mais tarde.Em fim,a decepção chegaria mais tarde mesmo.Além de chegar atrasado para minha cerimonia que estava encarregado de colocar o som,tudo estava escuro,eu não estava la,mas ao chegar pude perceber que não tinha nem se quer uma lâmpada,convidados no escuro,helicóptero pousou praticamente com a iluminação da câmera da filmagem,que graças a Deus fo quem ajudou.Resultado:fotos todas escuras,piscina escura,chácara escura,só com as luzes do local.Foi a maior decepção da minha vida,ele não tem idéia do quanto me deixou triste e ao meu marido.Sabe o que ele alegou?Que não tinha cabos de energia,era mentira porque dias antes o proprietário da chácara nos mostrou tudo,em perfeito estado,só ele não cumpriu com o combinado.Hoje olho meu filme de casamento e vejo o quanto ficou sem graça sem a ambientação.Mas quando me perguntam dele,não indico,falo mal mesmo,depender de mim ele fica parado.è isso.Bjss a todas!

  42. Elionete almeida, disse:

    Casei em dezembro de 2013 e oque era pra ser um sonho tornou-se em algo frustante meu casamento estava marcado pras 18 horas e só veio acontecer as 20 horas e quando cheguei que começou a macha nupcial que entrei me deparei com a sena da pessoa que ficou responsável pela decoraçao ainda decorando o ambiente e outra pessoa passando pelo meio dos convidados com o bolo na mão que pra acabar de completar ñ ficou do jeito que pedi e a decoração também não ficou como eu queria e pra finalizar assim que o pastor acabou a cerimônia e já estávamos nos comes e bebes a energia faltou simplismente acabou com a minha tão esperada festa de casamento.
    Não pude fazer nada afinal já tinha pago tudo antecipado e ficou por isso mesmo.

  43. Luciane, disse:

    Me casei em 23/04/2016 e algumas coisas saíram errado e me deixaram muito chateada. Passamos quase 2 anos preparando os detalhes, as coisas que nós preparamos saíram perfeitas, porém, as que pagamos para serem feitas, foi uma decepção! A pior de todas foi que o juiz de paz, que falou várias vezes que não tolerava atrasos, ligou pra mim (a noiva!) na hora do casamento pra dizer que havia ido para o local errado, muito distante de onde estava ocorrendo o meu casamento. Nossa sorte é que era uma cerimônia fake, pois nos casamos no cartório horas antes, já que não liberavam a papelada para ser levada para a chácara, onde seria a cerimônia. Resultado: um amigo nosso celebrou nosso casamento, foi pego no susto, nunca havia feito nada parecido na vida, coitadinho, mas se saiu super bem. O pior é que já havíamos pego ao juiz, que não quis devolver o valor pois alegava que nós informamos o local errado (como assim??), só ameaçando processar para devolver. O meu buquê não era como eu tinha pedido, pedi orquídeas brancas, rosas, lisianthus rosa-bebê, e veio um buquezinho só de rosas! Na decoração encomendei duas cascatas de flores para prender o voal no altarzinho da cerimônia ao ar livre, e colocaram dois arranjinhos bem mixurucas. O bolo fake simplesmente não era o que eu escolhi, e era muito diferente. E para o dj nós passamos uma lista de músicas que gostaríamos muito que tocassem, e os estilos musicais que não queríamos de jeito nenhum, na hora da festa além de não tocar nenhuma das músicas da nossa lista, tocou várias daquelas que não queríamos de jeito nenhum. Frustrante. Mas, mesmo assim, foi o dia mais feliz de nossas vidas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Por: Lívia Vital Bueno

Já dissemos que quando um casal decide se casar, mal imagina a quantidade de fornecedores, e detalhes a serem decididos, que encontrará pela frente. O problema é que, somado a eles, algumas novidades, certas vezes surpreendentes e eventualmente desagradáveis, também podem surgir.

Pois é, de acordo com notícia veiculada no início do mês pelo O GLOBO¹ , a grande surpresa de um casal do Rio de Janeiro, cujo casamento foi celebrado na Ilha Fiscal, em novembro de 2010, está relacionada com a taxa, cobrada pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), referente aos direitos autorais das músicas que seriam tocadas durante a festa.

A situação enfrentada por esses noivos é recorrente e pode ter sido vivida por muitos de vocês. Porém, como verão abaixo, há a possibilidade de recuperar o valor pago ao Ecad, e, ainda, ser indenizado por danos morais, se o caso. Se, contudo, o pagamento do valor cobrado ainda não tiver sido realizado, há a possibilidade de ajuizar Ação Declaratória de Inexistência de Débito, de modo a se tentar afastar a exigência desse pagamento indevido (o que, em regra, pode ser feito perante um Juizado Especial, sem a necessidade de contratação de advogado ou pagamento de custas).

Leiam a seguir alguns trechos extraídos da notícia mencionada, que conta o que aconteceu com esse casal:

“Ecad é condenado a ressarcir noiva por cobrança em casamento
(…)
Ao assinar o contrato de locação, a noiva foi informada de que deveria pagar uma taxa referente aos direitos autorais das músicas que viriam a ser trilha sonora do enlace. Além do vestido, bufê e todas as altas despesas geradas por uma festa deste porte, Kadja e o marido desembolsaram mais R$ 1.875, destinados ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, o Ecad. Passadas as comemorações, os dois decidiram entrar com um processo contra a cobrança do Ecad e (…) o juiz Paulo Roberto Jangutta, do 7º Juizado Especial Cível do Rio, condenou o Ecad a indenizar Kadja e Renato em R$ 5 mil, além de devolver a quantia paga pelo casal.
Para o magistrado, o casamento é, por definição, ‘uma festa íntima, na qual inexiste intenção lucrativa, seja de forma direta ou indireta. Festas de casamento podem ser realizadas com fim religioso, como celebração de um ritual civil ou como mera comemoração de uma realização pessoal, porém, não lhes é inerente qualquer aspecto empresarial, ainda que se trate de um evento de alta produção’, escreveu Jangutta em sua sentença, abrindo precedentes para que outros cônjuges também questionem o pagamento judicialmente. A partir de agora, o Ecad tem dez dias para pagar o valor devido ou mesmo recorrer da sentença. Especialista em Direito marítimo, Kadja conta que em nenhum momento durante os preparativos para o casamento concordou com a cobrança.
– Quando soube da existência desta taxa, me senti lesada. Até pela forma como a cobrança é feita: me enviaram um formulário por e-mail, preenchi, mandei de volta para o Ecad com uma cópia do contrato do aluguel do espaço e recebi um boleto de pagamento. Não tive a oportunidade de negociar e nem mesmo de entender a que aqueles R$ 1.875 se referiam. – contou a advogada ao GLOBO, por telefone.
Relatos de festas que teriam sido interrompidas por decisão do Ecad intimidaram os noivos, que decidiram acatar a decisão.
– Quando você organiza uma festa de casamento, você tem mil coisas para decidir e resolver, brigar na Justiça não é uma opção. Só recebi o boleto de pagamento numa sexta-feira à noite, na véspera do casamento e me desesperei, porque já não tinha como pagar àquela hora. Fiz minha mãe subir ao altar com um o talão de cheques na bolsa, estava tudo pronto para o caso de os fiscais do Ecad aparecerem. Felizmente isso não aconteceu, mas na volta da lua de mel precisei entrar em contato com eles novamente para pedir uma segunda via do boleto e então efetuar o pagamento. Se eu não pagasse, havia o risco de eles cobrarem da Marinha, responsável pela Ilha Fiscal.
Resolvida a questão, Kadja enfim decidiu entrar com um processo para reaver o dinheiro junto ao Ecad. Segundo a advogada, que representou a si mesma no processo, o valor cobrado foi calculado não com base nas horas ou na quantidade de músicas tocadas, mas em cima de uma porcentagem do valor pago pelo aluguel do salão.
– Se eu fizesse minha festa no playground do meu prédio ninguém iria me importunar, pois a lei discrimina que festas realizadas em domicílio ou mesmo em igrejas são familiares, mas o Ecad encontrou uma brecha para cobrar a taxa de casamentos realizados em outros locais. Ou seja, porque juntei dinheiro a vida toda para fazer a festa dos meus sonhos, eu teria que pagar um valor extorsivo e sem fundamento. Nem o DJ da festa recebeu cachê, foi um amigo que nos fez a trilha como um presente, os impostos acabaram saindo ainda mais caros.
Com a contestação da cobrança, os noivos esperam servir de exemplo para mais casais ou mesmo realizadores de eventos sem fins lucrativos e que, portanto, não estão ganhando com a execução de músicas durante o evento. Procurado pela reportagem de O GLOBO, o Ecad ainda não se pronunciou.”

Vale dizer que, em maio de 2010, o Tribunal de Justiça de São Paulo já havia se debruçado sobre essa questão ao analisar recurso de apelação interposto pelo Ecad, no qual foi pedida a modificação de sentença desfavorável, que julgou procedente ação declaratória de inexigibilidade de cobrança. Nesse recurso, o Escritório Central afirmou que a Lei de Direitos Autorais (Lei n. 9.610/98 – art. 46) prevê um rol taxativo de exceções que não são consideradas execuções públicas, e que, naquele caso, houve utilização de música por DJ em local de frequência coletiva e que a inexistência de fins lucrativos do evento não dispensa a obrigatoriedade do pagamento de direitos autorais.

Todavia, apesar dos argumentos apresentados pelo Ecad, o desembargador relator da decisão²  proferida foi categórico ao afirmar que: “o cerne da questão se restringe a saber se houve ou não execução pública de músicas de modo a obrigar o apelado (nesse caso o autor da ação) ao pagamento de direitos autorais. Como bem salientou o d. magistrado, ‘a interpretação pretendida pelo ECAD de que teria havido a execução pública das músicas contraria o bom senso e beira as raias do abuso do direito a ele conferido em determinadas situações, dentre as quais não se enquadra o caso em tela.’ No caso, o clube é uma espécie de prolongamento da casa do autor, não se podendo considerar local público, nem sendo a execução coletiva.”

Notem que ao decidir sobre esses casos, os tribunais têm entendido, assim como ocorre nas decisões que autorizam o fumo nas festas de casamento (assunto já abordado em um dos nossos posts), que o local onde o evento é realizado seria a extensão da casa dos noivos e não pode ser considerado local público.

Enfim, a boa notícia é que, em meio a tantos gastos, o casal pode ter uma despesa a menos: taxa do Ecad, nem pensar!

Lívia Vital Bueno
Advogada

_________________________________

¹ALMEIDA, Eduardo. Ecad é condenado a ressarcir noiva por cobrança em casamento. O GLOBO. Publicado aos 01/03/2012 (Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/ecad-condenado-ressarcir-noiva-por-cobranca-em-casamento-4103620#ixzz1p6ejZA00)

² Apelação n. 994.04.069487-9. TJ/SP – Des. Rel. Maurício Vidigal. Julgado em 04/10/2010.

Lívia Vital Bueno é advogada no escritório Donnini & Fiorillo Consultores Jurídicos e Advogados Associados. Para entrar em contato com ela: liviabueno@donninifiorillo.com.br

converse com a gente
 0             0})
DEIXE SEU comentário
29 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Por: Lívia Vital Bueno

Conforme prometido, no post de hoje abordaremos mais uma questão relativa ao casamento civil: a escolha do regime de bens.

Antes da celebração do casamento, salvo situações específicas previstas em lei, é permitido aos noivos estabelecer o que lhes for mais conveniente sobre os seus patrimônios, sendo certo que o regime escolhido começa a vigorar na data do casamento.

Mesmo após o casamento, porém, há a possibilidade de alteração do regime de bens. Para tanto, é necessária autorização judicial, que será concedida desde que preenchidos os requisitos legais, devendo ser sempre requerida por meio de pedido motivado de ambos os cônjuges, cuja pertinência deverá ser analisada pelo juiz, devendo, sempre, ficar preservado o direito de terceiros.

A legislação pátria prevê 04 (quatro) regimes de bens distintos, são eles: comunhão parcial, comunhão universal, separação de bens e participação final nos aquestos.

O regime de comunhão parcial de bens é o que se chama de regime legal, tendo em vista que vigora nos casamentos em que não há pacto antenupcial (ou, em havendo pacto, seja nulo ou ineficaz). Trata-se do regime da maioria absoluta dos casamentos realizados após 1977 (ano em entrou em vigor no Brasil a Lei do Divórcio), uma vez que são poucos os casais que optam pela realização do pacto antenupcial¹ (que será feita, sob pena de nulidade, por meio de escritura pública). Nesse regime há, basicamente, 03 (três) “blocos” bens: (i) os bens do marido e (ii) os bens da mulher trazidos antes do casamento e (iii) os bens comuns, adquiridos após o matrimônio.

Como regra, a comunhão se formará com os bens adquiridos onerosamente na constância do casamento, sendo bens particulares dos cônjuges aqueles que já possuíam ao casar. Alguns bens, porém, mesmo que adquiridos durante a união, não se comunicam, como aqueles adquiridos por doação ou sucessão (herança) e os bens de uso pessoal, os livros e os instrumentos de profissão.

No regime da comunhão universal de bens, ao contrário do que acontece na parcial, há comunicação de todos os bens que os cônjuges já possuíam ao casar e os que serão futuramente adquiridos, assim como de suas dívidas passivas. As exceções também existem nesse regime, ainda que mais limitadas, ficando excluídos da comunhão, por exemplo, os proventos do trabalho pessoal de cada cônjuge.

O regime da separação de bens tem como característica a completa distinção de patrimônios do casal. Nele não se comunicam os frutos e as aquisições e cada cônjuge permanece na propriedade, posse e administração de seus bens.

Em algumas situações, esse regime não decorre apenas da vontade dos nubentes, mas aplica-se, também, por imposição legal, como se verifica no casamento de pessoa maior de 70 (setenta) anos e de todas aquelas que dependerem, para casar, de suprimento judicial.

Não raro, casais que optam inicialmente por regime diverso ao da separação de bens valem-se do Judiciário para requerer a alteração para esse regime, especialmente quando um dos cônjuges (ou ambos) exerce algum tipo de atividade empresária, de modo a preservar o patrimônio do outro.

Por fim, quanto ao regime da participação final nos aquestos, pouquíssimo optado pelos casais, pode-se dizer que se trata de um regime híbrido, ou seja, tem características semelhantes tanto às do regime da separação de bens, na constância do casamento, quanto às do regime da comunhão parcial, na dissolução da sociedade conjugal.

Como sabemos, a união pelo casamento se dá em razão da afeição dos cônjuges, que, na maioria das vezes, pretendem conferir um ao outro assistência moral, espiritual e material. O matrimônio não deve, portanto, se revestir de conteúdo econômico, mas traz, inevitavelmente, reflexos patrimoniais para ambos, especialmente em caso de desfazimento do vínculo conjugal. Justamente por essa razão, por mais confiança e amor que exista entre o casal, tentem, na medida do possível, conversar sobre tudo o que está sendo feito com o patrimônio de ambos, de forma a evitar eventuais conflitos e decepções.

Nesse sentido, é importante trazer um caso recentemente julgado (jan/2012) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, no qual o casal requereu a alteração do regime de bens, valendo-se, dentre outros, do argumento de que já haviam se separado judicialmente, e que, passado algum tempo, reataram os laços conjugais, mas uma das condições para tanto seria justamente a mudança do regime, que foi um dos principais motivos da separação.

Por isso, antes de optar por um ou outro regime de bens, vale a pena o casal refletir e escolher o mais viável, para que as questões patrimoniais não atrapalhem a plena comunhão de vida dos cônjuges.

_________________

¹ Vale destacar que as convenções antenupciais somente terão efeito perante terceiros depois de registradas, em livro especial, pelo oficial do Registro de Imóveis do domicílio dos cônjuges.

Lívia Vital Bueno
Advogada

Lívia Vital Bueno é advogada no escritório Donnini & Fiorillo Consultores Jurídicos e Advogados Associados. Para entrar em contato com ela: liviabueno@donninifiorillo.com.br

converse com a gente
 0             0})
DEIXE SEU comentário
14 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>