Kali mera é como se diz bom dia em grego. Acredito que não tem como o dia não ser bom em Santorini. Sempre nas listas dos melhores destinos para lua de mel, Santorini é uma ilha vulcânica em forma de lua crescente, com aquele mar azul lindo e casinhas brancas construídas no penhasco, comida deliciosa (pense num bom peixinho, bom azeite, boa salada), tranquilidade e o pôr do sol mais famoso do mundo.

Tenho várias dicas que vocês poderão ler abaixo, mas com certeza a melhor dica em Santorini é: fique em Oía (pronuncia-se Ía), especialmente se você estiver em lua de mel. Oía fica na ponte norte da ilha e é lá que acontece a vista do pôr do sol. É lá também que tem o visual que vemos nas fotos e revistas, das casinhas brancas, do charme. É lá que se encontram os melhores restaurantes. E lá as ruazinhas são só para pedestres, estreitas, portanto bem complicado de você ir de carro e estacionar perto. Os hotéis em Oía são mais caros do que no restante da ilha, mas vale cada centavo, você nem vai querer sair de lá. Passamos 3 noites e as 3 fomos assistir ao pôr do sol. Simplesmente um paraíso. Ficamos hospedados no La Perla Villas com quartos bem típicos e incrustados nas rochas, mas se você quer mais luxo, recomendo o Mystique, Katikies ou Kirini.

(café da manhã na varanda do nosso quarto)

No primeiro dia alugamos um carro pequeno para conhecer toda a ilha. Como não somos um casal que fica muito tempo na praia tomando sol (preciso preservar minha pele branquinha, rs!), num mesmo dia fomos em todas as praias.  Pegamos o carro em torno das 10h da manhã e fomos para Kamari, a praia que mais gostei. Não sei se podemos dizer exatamente praia, como é uma ilha vulcânica, as praias não são de areia fina como estamos acostumados e sim de pedrinhas. Kamari é do “grupo” de praias de areia preta, ou melhor, pedrinhas pretas. Por lá uma boa variedade de restaurantes para o almoço também. Em seguida fomos para Perissa e Perivolos, ambas também praias de areia preta.

Após passear um pouco de carro por Megalochori (o ponto mais alto da ilha) e Pyrgos (região das vinícolas), fomos rumo à Red Beach, a praia de areia vermelha. Nessa praia, diferente das praias de areia preta, não há estrutura de cadeiras e guarda sol, você precisa fazer uma pequena trilha para chegar à praia. Em seguida pegamos o carro novamente e andando no sentido do farol, achamos uma lojinha linda que vendia produtos regionais – ah, que arrependimento não ter comprado nenhum azeite!

No fim da tarde fomos passear pela capital da ilha, Firá. Lá tem uma vista linda para a cratera e a ilha de Néa Kaméni. Lá que tem as mulas, que são símbolo da cidade, que trazem os turistas dos navios que ancoram no porto e sobem para passear pela cidade (há o bondinho também, bem melhor, só citei as mulas porque são símbolo!) e muitas, muitas lojinhas. Mas sendo sincera, nem gostamos muito porque as lojinhas e restaurantes de Oía são bem melhores, então fomos embora logo assistir ao pôr do sol 😉 Devolvemos o carro no mesmo dia.

Escolhemos fazer um passeio de barco no segundo dia e foi excelente, afinal já que as praias são de pedrinhas e não dá para aproveitar muito, passe seu dia no mar! Existem várias opções de passeios, obviamente com variações de preços e conforto. A opção mais barata (EUR 33,00 por pessoa) é um barco que leva até 70 turistas e o almoço não está incluso. Escolhemos uma opção mais cara morrendo de medo de estarmos gastando dinheiro à toa, mas adoramos o dia! Custou EUR 135,00 por pessoa mas o barco é maravilhoso, haviam apenas 4 casais e um almoço delicioso incluindo salada, camarões e bisteca de porco. O passeio de 5h de duração também incluia paradas para mergulho de snorkel, foi um dia delícia. Voltamos a tempo de ficar um pouco na piscina do hotel e assistir mais um pôr do sol deslumbrante.

O terceiro dia foi reservado para ficar passeando e tirando fotos em Oía. 😉

Os restaurantes também merecem destaque em Santorini. Nosso primeiro jantar foi no Restaurante Ambrosia, o qual amamos tanto que vou comentar abaixo na “a melhor dica”.  O segundo jantar foi no “irmão” do Ambrósia, o Nectar and Ambrosia, comida divina e ainda fomos brindados com uma noite de eclipse lunar, foi muito especial. Gostamos tanto da comida que almoçamos lá novamente no último dia. Na terceira noite fomos ao 1800, o qual li a indicação em vários blogs e guias. Fica no topo de uma casa e é bastante premiado. Foi de lá que assistimos ao pôr do sol da terceira noite, com direito a taça de champanhe, muito chique. O peixe estava ótimo, tudo estava ótimo, mas eu havia amado tanto os restaurantes das noites anteriores que não consegui adorar o 1800. Faça reserva em todos os 3 antes de ir (eu já saí do Brasil com eles 3 reservados!)

O restaurante Ambrosia foi não só o que mais gostamos em toda a viagem como entrou para nosso top 5 de lugares que mais gostamos de ter jantado! Não é só a comida que vale mas toda a experiência: atendimento perfeito, um bom vinho e o lugar… ah, o lugar (suspiros)! Do alto de um penhasco, uma casa com poucos lugares, mesinhas na varanda debruçada para o mar azul, a noite caindo, a lua cheia, um jantar com a iluminação apenas da vela e da lua. Uma vista sem igual. Foi um momento único, terminando com uma tacinha de vinsanto (o vinho de sobremesa típico de Santorini).

Ao final do terceiro dia fomos para o aeroporto de Santorini, onde pegamos um voo para Atenas e de lá para Istambul, Turquia. Cenas do próximo capítulo.

Fotos: Fernanda Floret

converse com a gente
 0             8})
DEIXE SEU comentário
61 Comentários
  1. Sthefanny Farias, disse:

    Fernanda, que linda as fotos. Meu sonho, como de muitas outras.
    Vou fazer uma pergunta meio inconveniente, rsrs, mas quanto vcs gastaram, em média?
    obrigada!!

    • Fernanda Floret, disse:

      Sthefanny, já faz alguns anos, realmente não me lembro mais e os valores podem ter mudado! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Dizem que Mykonos é a ilha das celebridades, da badalação, das festas. Dizem também que uma viagem é o que o casal faz dela. Para mim Mykonos foi romântica, foi um paraíso. Aquele mar azul, aquele peixe grelhado, as igrejinhas brancas, passear no centrinho à noite, eu amei tudo.  Nos hospedamos no Myconian Ambassador, que foi um dos melhores hotéis da viagem, lindo e com atendimento perfeito. Passamos 3 noites em Mykonos que valeram cada segundo.

Já vou começar o post com a melhor dica porque fica mais fácil entender todo o resto: alugue um carro. Um carro pequeno. Nós alugamos um Smart :-) Mykonos é uma ilha cheia de praias lindas e diferentes uma das outras. Vale a pena conhecer cada uma delas e a melhor forma é com a liberdade de ter seu próprio carro para poder ir e vir na hora que quiser. Há apenas 31 táxis na ilha inteira, o que é um número muito baixo para a quantidade de turistas especialmente na temporada, portanto depender de táxi significa muitas vezes ter que esperar mais de 1 hora! Seu hotel pode providenciar o aluguel do carro assim que você chegar na ilha, há muitas empresas de aluguel. Assim você pode conhecer todos os locais abaixo.

Já  com carro, pegue o mapa da ilha e planeje quais praias vocês irão conhecer em cada dia.

Começamos com a Agios Sostis, também conhecida como Kiki’s Beach, uma praia paradisíaca, tranquila, vazia, ainda sem os serviços de guarda sol, cadeira e música alta, enfim, uma pérola. Lá tem o melhor restaurante que experimentamos em Mykonos: um restaurante que funciona sem eletricidade, numa casa simpática, com saladas maravilhosas e grelhados. Me prometam que se forem até Mykonos, irão neste lugar!!

Perto de Agios Sostis encontra-se a praia Panormos, o lugar que na minha opinião será a próxima praia a entrar “na moda” na ilha. Linda e com um serviço de praia super bacana. Atravessamos a ilha no sentido sul e ainda no mesmo dia fomos na praia Elia e Kalo Livadi, ambas super jovens e essas sim cheias de cadeira de praia, esporte aquático e um pouco de agito.

No dia seguinte a praia que escolhemos para descansar e almoçar foi a Paraga, outra praia pequena e tranquila com um restaurante simples e tradicional, a Taverna Nikolas, onde você pode comer uma boa salada, comida bem tradicional grega ou um peixinho do dia. Sabe aquele dia simples e perfeito?

Ao lado da Paraga tem a praia Paradise, talvez a mais conhecida de todas, a mais agitada, o lugar onde o dia inteiro toca música alta e as pessoas dançam em cima das mesas, pura festa. Do outro lado, Platys Gialos com vários bares, restaurantes e hotéis (era a praia do meu hotel, mas eu não gostei muito), e seguindo um pouco mas você chega em Psarou, a praia onde estacionam os barcos de luxo, se é que vocês me entendem. Lá tem um restaurante famoso, o Nammos, vale a pena fazer uma reserva para o jantar. Após às 21h, eles colocam tapetes na areia e montam as mesas ali mesmo, na areia, pertinho do mar, a luz de velas :-)

Todos os dias à noite a gente ia para Chora, o centrinho de Mykonos, lugar perfeito para o pôr do sol, para jantar, para passear e comprinhas. Dos lugares que comemos por lá, o Aqua tem excelente localização em Little Venice com vista para os moinhos e o mar e serve uma boa pasta, mas achamos mais caro do que merece. O Nautilus é comandado por um grego muito simpático e serve um excelente peixe grelhado do dia. Bem caro também, mas saí feliz. E o turístico Taverna Nikos é uma boa surpresa, comida boa e preço justo.

Vista noturna da varanda do nosso quarto:

De Mykonos fomos para Santorni de Ferry Boat. Mostro tudo no próximo post.

Fotos: Fernanda Floret

 

converse com a gente
 0             4})
DEIXE SEU comentário
50 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

10 itens indispensáveis na minha mala de verão:

Sempre da esquerda para direita:

Sapatilha com lantejoulas prateadas e douradas, perfeita para sair a noite, combina com todas as roupas, não ocupa muito espaço na mala como sapatos com salto e você fica confortável para andar e dançar bastante, da Tatiana Loureiro | Guias de Viagem, para já chegar no seu destino informada das melhores dicas. | Bolsa de alça comprida, leve e no tamanho certo para você carregar a câmera fotográfica, mapa, dinheiro e documento durante a viagem, sem carregar peso e sem ocupar seus braços, da Sarah Chofakian | Protetor solar com hidratante, Ultra Light, da Neutrogena, porque cuidar da pele do rosto é básico do básico | Gel para pés e pernas cansadas, da Granado, porque tomar banho no fim de um dia de muita caminha e passar ele dá uma sensação incrível de descanso e te deixa pronta para o dia seguinte | Chapéu de palha, protege o rosto e dá um up no visual | Câmera fotográfica G12 da Canon, deixa todas as fotos maravilhosas | Água termal da Avéne para refrescar e nutrir o rosto nos momentos de calor | Biquíni tomara que caia, da Jo de Mer, porque não gosto de ficar com marquinha de alça de biquíni | Um grande amor.

converse com a gente
 0             0})
DEIXE SEU comentário
16 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>