LuadeMel_Cusco

Tudo começou quando eu liguei para a Julieta, da agência de viagens Canvas Travel, e disse: “-Quero viajar no feriado, mas não sei para onde!”. E ela respondeu “- Vá para o Peru!”. Peru? Sendo bem sincera, eu nunca havia pensado em ir para o Peru, não estava entre minhas viagens prioridade. Tinha um preconceito de viagem para mochileiros, aventura demais, não era bem o que eu queria. Mas fui convencida pela Julieta quando ela me contou que além de todo o lado cultural e histórico, o Peru é o país da América do Sul com mais hotéis luxuosos (só da cadeira Belmond são 5, enquanto no Brasil apenas 2!), gastronomia estrelada, Pisco Sour e muito mais. E para um feriado, apenas 5 dias de viagem, estava perfeito, afinal é perto. Em apenas 5 horas de voo estamos no Peru. Estava decidido, bilhetes emitidos, destino Peru.

Toda vez que eu vou para algum lugar novo, compro um guia pequeno de bolso da Publifolha chamado Guia Passo a Passo, é ótimo. Busquei no Google “Peru Passo a Passo” e apareceu um monte de receitas de Peru de Natal, rs!! Ainda bem que existem os blogs de viagem, adoro lê-los. Logo achei o Cup of Things, por coincidência até encontrei uma das autoras lá em Lima sem combinar! Vale a leitura.

Pegamos o voo de madrugada, escala em Lima e às 14h já estávamos em Cusco. Cusco é a capital do império inca, cidade cheia de cultura e história. Como fica a 3.400 metros de altitude, todos indicam descansar nas primeiras horas, para se acostumar com a altitude. No hotel Belmond Palacio Nazarenas fomos recebidos com um buquê de flores (amei a gentileza) e chá de coca. Vale dizer que eu super amei o hotel, chique, elegante e amigável ao mesmo tempo. Todos os funcionários super gentis e prestativos. Tínhamos até um mordomo para preparar pisco sour para a gente no quarto, ensinando a gente como fazer o drink. Adorei. Descansamos, almoçamos na piscina e fomos passear pela cidade. Nosso hotel era próximo da Praça das Armas, ótimo para andar a pé. Por ali também encontra-se diversas lojas de artesanato para lembrancinhas. Fui em Maio e aviso que a cidade é bastante fria. Eu estava com malha de lã e lenço no pescoço e passei frio, precisa levar casaco, a temperatura à noite fica abaixo dos 10ºC.

O jantar já estava reservado. Essa é minha dica, sempre faça reserva antes de viajar, tudo dá mais certo! O restaurante mais famoso da cidade é o Chicha, do famoso chef Gastón Acurio. Siga as sugestões dos garçons e vá dos pratos típicos da cidade.

Nada de bebidas alcóolicas no primeiro dia, afinal o dia seguinte seria de Machu Picchu, que tem capítulo à parte. No terceiro dia ainda fizemos um city tour privativo pela cidade, pelos lugares declarados Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, são mais de 3 mil anos de história.

A viagem era curta, afinal fomos no feriado de 1º de Maio, não tínhamos muitos dias, então antes que me perguntem… não, não deu tempo de ir ao Vale Sagrado dos Incas, de fazer mil trilhas etc. Mas mesmo assim, achei que super valeu a pena.

relação de profissionais desse casamento

Agência de Viagem: Canvas Travel 

 

Fotos: Fernanda Floret

converse com a gente
 1      0       0})
DEIXE SEU comentário
4 Comentários
  1. Roberta, disse:

    Oi Fernanda, tudo bem? Parabéns pelo blog, acompanho fielmente e adoro suas dicas.
    Estive em Cusco para o Réveillon 2012/2013 e tomei a liberdade de recomendar mais um restaurante que gostei muito: o Limo.
    A apresentação e o sabor dos pratos é impecável, o ceviche e o pisco sour são imperdíveis, sem contar a vista para a praça e para catedral, se conseguir uma mesa na varanda. Só de lembrar, me apetece a voltar!! rs
    Grande beijo.
    Roberta.

  2. Raissa, disse:

    Oi Fernanda

    Moro em Lima ha 3 anos e meio e recomendo outros restaurantes que sao muito mais estrelados, como o: MAP do Museu de arte Moderna, o Fallen Angel e o Chicholina que sem duvida eh o melhor de Cuzco!

  3. Isaura, disse:

    Boa noite Fernanda,
    Adoro seus comentarios e dicas!!! Estamos indo para a rota romantica da Alemanha e gostaria das suas sugestões!!!

    • Fernanda Floret, disse:

      Oi Isaura, infelizmente eu não conheço a rota romântica da Alemanha, então não tenho dicas para te dar… Beijos e boa viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Machu Picchu-hiram bingham

Eu havia lido vários blogs de viagem sobre o Machu Picchu antes de embarcar para o Peru, e todos sugeriam se hospedar na cidade de Águas Calientes no dia anterior da visita ao Machu Picchu, para poder pegar os primeiros ônibus (apenas 20 minutos) e entrar no local no primeiro horário (acho que às 6 da manhã), antes da multidão de turistas. Eu gosto de lugares tranquilos, até para as fotos ficarem mais bonitas, mas o fato é que eu havia comprado toda a viagem no pacote da agência e não iria dormir em Águas Calientes… Eu não estava a fim do “esquema aventureiro” e já estava conformada que dessa vez eu iria junto com a multidão de turistas e pronto… É o que temos para hoje! Mas o que era para ser um caos foi na verdade tudo perfeito. Conto abaixo.

Não vou ficar falando sobre a história de Machu Picchu porque isso está escrito melhor nos livros de história. Nem sobre as dicas de como comprar os bilhetes, porque a agência quem cuidou de tudo. Só resumindo, já vá com bilhetes, guia, trem, tudo reservado! Muito complicado ter que fazer isso lá!

Cusco fica há 3 horas de trem de Águas Calientes. Existem vários trens que fazem o percurso, com faixas de preços diferentes. O mais luxuoso, perfeito para casais em lua de mel, é o trem Hiram Bingham, um trem 5 estrelas do grupo Belmond. É bem mais caro, mas eu amei tanto, vale cada centavo da experiência. O trem parte às 09 da manhã, mas é indicado chegar na estação às 08h30, porque tem welcome drink e grupos de dança folclórica na recepção dos passageiros, perfeito para fotos. Na verdade a experiência já começa na noite anterior, quando recebemos em nosso hotel uma bolsa de viagem do trem, para levar nossos pertences pessoais. O trem tem 4 vagões, sendo um com o bar, 2 com as mesas reservadas de cada passageiro e o último com a cozinha. São 3 horas super agradáveis! Um guia explica tudo, no vagão do bar tem um trio musical super animado, todas as bebidas incluindo vinhos e pisco sour são inclusas e é servido almoço, com entrada, prato principal e sobremesa. O segredo de conseguirmos tirar fotos sem aparecer muitas pessoas? Quando todos estavam nas mesas escolhendo o almoço, fomos para o bar fazer as fotos no fundo do trem! Depois quando todos estavam no bar, fiz as fotos das mesas, rs! Assim fica muito mais bonito. E como são 3 horas de percurso, dá tempo de fazer tudo… tirar foto, cantar e dançar com a banda, almoçar, descansar…

Machu Picchu fica a 2400 metros de altitude, é portanto mais quente do que Cusco. Deixamos nossas malhas no trem (já que iríamos voltar no mesmo!). Um guia já nos aguardava para levar ao ônibus que nos transportaria ao Machu Picchu. Em 20 minutos estávamos lá, era quase 13h da tarde de um dia lindo de sol.

É incrível conhecer o Machu Picchu, símbolo do império Inca. Quando fechei o pacote com a agência, pedi um guia particular, assim não precisamos acompanhar um grupo, fazemos no nosso tempo e esse foi o segredo de termos tantas fotos do casal sem ninguém em volta, rs! Nossa guia era ótima para contar a história do local e para tirar fotos!

A verdade é que apenas 30% do Machu Picchu é construção original, o restante foi reconstruído e está sempre em “obras” de manutenção, super válido para a preservação dessa história.

E o segredo que comentei no começo sobre nossas fotos parecerem que o local estava vazio? Ficamos lá até 16h30, o local fecha às 17h. Ou seja, no finzinho já não tinha quase mais ninguém mesmo! Estava uma luz linda de fim da tarde, o local esvaziando… foi perfeito para aproveitar com meu marido e fazer muitas fotos! Para quê madrugar se dá para ter o local vazio no fim da tarde? :-)

Fazia parte do nosso pacote um chá da tarde (cheio de doces e salgados) no hotel que fica ao lado da entrada do parque, e depois voltamos novamente no trem Hiram Bingham. Eu achei que seria uma experiência repetida, mas foi completamente diferente. Na ida tem toda a paisagem do trajeto para admirar. Na volta já é noite, tudo escuro, não tem paisagem nenhuma. E por isso mesmo o trem fica bem mais animado!  Todos passageiros vão para o vagão do bar, o trio de músicos faz todo mundo cantar e dançar, pisco sour à vontade, foi divertidíssimo! Estava tão animado que esqueci de tirar fotos, desculpas! Depois foi servido um jantar, desta vez com duas entradas, prato principal e sobremesa. Chegamos de volta em Cusco por volta das 21:30h. Um dia inesquecível.

converse com a gente
 0      0       0})
DEIXE SEU comentário
13 Comentários
  1. Ana Paula, disse:

    Nossa…lindas fotos, lindo passeio! Deu mais vontade ainda de conhecer! Anotadas as suas dicas 😉

  2. claudia vilhena, disse:

    Olá Fernanda, tudo bem? Por acaso você se sentiu mal com a altitude? Eu sempre quis ir para o Peru, mas morro de medo da tal síndrome da montanha e queria saber se você teve. Obrigada, adoro seu trabalho! Um abraço

    • Fernanda Floret, disse:

      Claudia, não sentimos nenhum mal com a altitude não! Nem eu, nem meu marido! Não tomamos bebida alcoolica no primeiro dia e comemos refeições mais leves ou de fácil digestão como massa. Tomamos o tal do chá de coca tamnbém. Não senti nenhum efeito da altitude, foi super tranquilo!

  3. Lila, disse:

    Nossa, que fotos!!! Fiquei suspirando com sua experiência…
    Pode me passar por e-mail o contato do guia particular que você contratou? Ou vc fez isso pela agência de viagens? Bjs

    • Fernanda Floret, disse:

      Lila – o guia particular foi reservado pela agência de viagens. A agência quem cuidou de todos os translados, receptivos e guias. Beijos!

  4. Raquel, disse:

    Adorei as lhamas de pelúcia! onde vende lá e quanto é???

    • Fernanda Floret, disse:

      Raquel, elas são vendidas em várias lojas/ barraquinhas de artesanato local. Não perguntei o preço quando estava lá. Beijos!

  5. Juvenal Rondan - Viagens Machu Picchu, disse:

    Olá Fernanda!
    Primeiramente parabenizo pelo trabalho que fiz em ajudar aos brasileiros que desejem conhecer Machu Picchu, quem escreve é um amante da cultura brasileira e graças a deus já teve a sorte de morar no Brasil por um bom tempo, agora voltei ao Peru – Cusco para montar a nossa operadora de viagens somente para os brasileiros que desejem conhecer a nossa historia e cultura com guias locais e conhecedores do idioma português.
    Gente se alguém esta precisando de dicas e recomendações dos outros destinos do Peru como Lago titicaca, puno, Arequipa, Nazca, Paracas, trujillo, Huancayo, fico a sua disposição para ajudar;lhes sem nenhum compromisso e assim eu poderia contribuir a que muita gente venha a visitar esta terra maravilhosa herdada por um cultura milenar. visitem nosso site > http://www.viagensmachupicchu.com.br

  6. Thalita, disse:

    Oi Fernanda!! Adoramos suas dicas e queremos ir ainda esse ano à Machu Picchu. Poderia nos informar por email qual a agencia que vcs usaram?
    Parabéns pelo site, acompanho ele desde o início do meu casamento…a 4 anos atrás! Adoro todas as dicas de viagens!!
    Obrigada!!

  7. Thais, disse:

    Lindas suas
    Fotos!!! Tudo incrivel, vc pode me indocar sua agencia de viagem?

    • Fernanda Floret, disse:

      Oi Thais, a agência foi a Canvas Travel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

LuadeMel-Gastronomia

Esta é uma semana especial, tem Travelweek e Evento Casar, e nossos parceiros de lua de mel do blog estarão presentes nestes dois eventos importantes de São Paulo!

Antes de começar a loucura dos eventos, perguntei para eles uma sugestão de lua de mel para os casais que amam uma boa gastronomia. Esse é meu caso, amei as sugestões!

lua_de_mel-Megtur

Vdn1Destino: Lima, Peru

Quem leva: Megtur

Por que ir: O Peru é a melhor cidade para roteiro gastronômico dentro da América do Sul, inclusive o restaurante mais premiado da América do Sul é peruano! Além da gastronomia, tem também a parte histórica, devido aos muitos sítios arqueológicos. É cheia de atrações, com lugares interessantes para visitar dia e noite.  Lima é a capital e maior cidade do Peru. Está localizada nos vales dos rios Chillón, Rímac e Lurín, na parte costeira central do país, banhada pelo Oceano Pacífico.

Onde se hospedar: JW Marriott Miraflores, Belmond MirafloresCasa Andina Private Collection Miraflores.

Melhor época para ir: O ano todo é muito bom.

lua_de_mel-Cinqtours

VDN2Destino: Inesperadamente a Tailândia

Quem leva: Cinqtours

Por que ir: um destino exótico, com história, geografia e arquitetura incrível. Um país cheio de encantos e atividades diversas, onde a generosidade da natureza permite visitar praias estonteantes, cidades fervilhantes e aldeias onde o tempo e a cultura local são um espetáculo. A forte cultura tem raízes em varias áreas deste pais, um deles a culinária. Aulas são possíveis em vários lugares e divulgar esta cultura é um orgulho para os locais. Eis então a descoberta de uma gastronomia saborosa, porém, mais do que a possibilidade de aprender, é a arte de desfrutar desta cultura. Neste hotel, que é um espetáculo de arquitetura e luxo, aulas são ministradas constantemente e há estrutura própria para sala de aulas de gastronomia. Um orgulho para eles.

Onde se hospedar: Dhara Dhevi Chiang Mai (ex Mandarin Oriental)

Melhor época para ir: O período das monções é em Outubro, quando não é recomendado visitar o país. De Novembro a Fevereiro o clima é seco com temperaturas agradáveis e o auge do verão fica entre Março e Maio, com temperaturas mais elevadas.

lua_de_mel_CanvasTravel

vdn3Destino: Tailândia e Vietnã

Quem leva: Canvas Travel

Por que ir: Para os “gourmets de plantão” é sabido que a cozinha Thai e Vietnamita é riquíssima, sem falar nas experiências de “cooking-class” posterior a uma visita a mercados vietnamitas ou tailandeses em companhia de um chef para escolher os mais frescos e especiais ingredientes. Para quem gosta de uma “pitada apimentada” em uma incrível e diferente lua de mel.

Onde se hospedar: Mandarin Oriental Bangkok (Thai) e Da Nang – The Nan Hai (Vietnã)

Melhor época para ir: de novembro a fevereiro.

converse com a gente
 1      0       0})
DEIXE SEU comentário
0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>